12 set

Colômbia é país destaque para exportação de calçados brasileiros

Global JR | Empreendedorismo Marketing Negócios Pesquisa de mercado

O setor calçadista brasileiro apresenta um rumo promissor para a exportação. De acordo com o Sindicato da Indústria de Calçados de Franca (Sindifranca) – cidade do estado de São Paulo onde se localiza um dos principais polos produtivos de calçado, juntamente com Novo Hamburgo, RS – houve uma alta de 16,83% nas exportações entre janeiro e junho do ano de 2017, passando de US$ 34.999.363 no ano anterior para US$ 40.888.777. O saldo comercial em relação às importações tem se mantido positivo apesar do arrefecimento que atinge a economia.

Dentre os países que mais consomem nossos calçados estão a Argentina, que corresponde a mais de 29% das compras, seguida da Bolívia e do Paraguai, segundo o site Trademap. Entretanto, os argentinos desejam mudar esse cenário e diminuir o ritmo de importações brasileiras. Simultaneamente, há uma grande oportunidade de inserção no mercado colombiano, que atualmente é o sexto maior importador de nossos calçados.

Recentemente o programa Brazilian Footwear, promovido pela Associação Brasileira da Indústria de Calçados (Abicalçados) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX), recomendou a Colômbia como a aposta a ser feita dentro da América Latina, uma vez que o país tem promovido diversas feiras calçadistas e essas têm gerado ótimos retornos aos investimentos brasileiros. Ademais, a Colômbia concede tarifas preferenciais aos produtos brasileiros, devido ao Acordo de Complementação Econômica CAN-Mercosul, ACE 59, no âmbito da Associação Latino-Americana de Integração (ALADI). A tarifa preferencial dos produtos brasileiros pode representar uma importante vantagem competitiva em relação às exportações de outros países.

Além do parceiro de Mercosul, Israel demonstra um forte potencial de vendas, uma vez que apresenta um crescimento de 51% nas buscas por sapatos brasileiros nos últimos 5 anos. “O exportador brasileiro terá oportunidade de encontrar parceiros estratégicos em Israel, que também poderão representar canais para identificar e explorar oportunidades de negócios em outros mercados, bem como de investimentos no Brasil” (FECOMERCIO, 2014).

Outro fato a ser ressaltado é que, como comentado pelo programa Brazilian Footwear, a questão de se fazer presente no comércio que ocorre no Oriente Médio é de alta importância, visto que Israel poderia torna-se um hub regional para, futuramente, atingir outros países na região. Esse dado é reiterado quando se tem em mente o fato de que Brasil e Israel possuem um acordo bilateral de livre-comércio, ponto positivo para internacionalizar os produtos brasileiros, além da alta dependência israelense do comércio internacional.

          Ambos os países apresentam oportunidades que facilitam o acesso de empresas brasileiras em solo estrangeiro. Interessou-se pelo assunto? Contate-nos pelo telefone (51) 3218-1402 ou clique aqui e agende uma conversa sem compromisso.

TAGS

Últimos Posts

Os 10 maiores parceiros comerciais do Brasil de 2018

11 dezembro 2018

CEPAL prevê rumo do comércio latino americano em 2019

26 novembro 2018

O impacto do Museu Nacional no cenário internacional

14 novembro 2018

Posts relacionados

Demanda de produtos premium no exterior mostram oportunidade de expansão no setor de cachaçarias no mercado internacional

25 outubro 2018

LEIA MAIS

O mercado de cosméticos na Ásia tem alto crescimento previsto para os próximos anos

26 setembro 2018

LEIA MAIS

Países Baixos mostram oportunidade no setor de alimentação saudável

19 setembro 2018

LEIA MAIS

Fintechs brasileiras nos Estados Unidos

29 junho 2018

LEIA MAIS
Global JR - Negócios Internacionais | ESPM
Entraremos em contato com você.
Global JR - Negócios Internacionais | ESPM
Agende uma reunião gratuita conosco.