09 abr

Consequências da declaração do Brasil na OMC

Global JR | Não categorizado

     A decisão tomada no dia 19 de março, por parte do Ministério de Relações Exteriores com apoio de Jair Bolsonaro, declarou o Brasil, dentro da OMC, como um país desenvolvido e não mais em desenvolvimento, em troca de um apoio norte-americano para a entrada na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A decisão foi tomada em virtude do Ministro de Relações Exteriores, Ernesto Araújo, acreditar que o Tratamento Especial e Diferenciado (TED) não estava mais ajudando o Brasil a se desenvolver. A entrada para esta nova organização traria ao Brasil um enfoque maior ao desenvolvimento, visto que é o objetivo principal dela; a deliberação efetuada pelo presidente, no entanto, traz diversas consequências, tanto positivas quanto negativas.

      Dentre as consequências negativas é possível relatar as principais: não ter mais o Tratamento Especial e Diferenciado (TED), igualdade de competitividade comercial entre empresas estrangeiras e empresas nacionais, e outras organizações internacionais pressionarem a declarar desenvolvimento. Com relação a questão do TED, o Brasil terá bem menos tempo para adaptações relacionadas às decisões tomadas dentro da OMC, impactando diretamente nos produtores e exportadores. No que tange a competitividade, quando o país está em desenvolvimento ele não necessariamente precisa abrir totalmente seu mercado e, consecutivamente, consegue proteger sua indústria nacional. Tornando-se um país desenvolvido, a competitividade torna-se de igual para igual, obrigando o país a respeitar todas as decisões e abrir igualmente seu mercado comparando-se às grandes potências.

     Dentre as consequências positivas é possível relatar dois aspectos: atrair investimentos externos e elevar o nível para empresas nacionais. A questão dos investimentos externos se mostra quando, aceitando essa condição, o Brasil necessitaria passar por algumas reformas, para poder se adaptar às novas condições, tais mudanças, em teoria, possibilitaram com que o Brasil se torne um país mais previsível e suscetível a novos investimentos. O aspecto de elevar os níveis das empresas nacionais está no fato de que, com a competitividade se tornando maior, as empresas serão obrigadas a investir mais fortemente em inovação e, consecutivamente, melhorar a qualidade. Esse último fato possui uma linha tênue pois pode acabar quebrando as empresas nacionais como já ocorreu outras vezes que liberalizaram o mercado.

     O novo posicionamento do Brasil perante a OMC traz pontos negativos e positivos. Dessa forma, é de suma importância para as empresas nacionais que se adaptem ao novo cenário, assim, podem investir na redução de custos de seu produto perante importações e compreender onde podem produzi-los à baixo custo. A Global Jr. produz diversos planos negócios, desse modo, podemos auxiliar sua empresa a tornar-se mais competitiva em âmbito nacional e internacional.

 

TAGS

Últimos Posts

Anunciado o acordo entre Mercosul e União Europeia

08 julho 2019

Consumo de erva-mate no mundo

02 julho 2019

Sua empresa possui plano de marketing? Entenda a importância dessa ferramenta

25 junho 2019

Posts relacionados

Consumo de erva-mate no mundo

02 julho 2019

LEIA MAIS

Marketing verde nas grandes empresas, risco ou oportunidade?

19 junho 2019

LEIA MAIS

Perspectiva do mercado empresarial brasileiro para 2019

11 junho 2019

LEIA MAIS

K-POP: um fenômeno em ascensão mundial

28 maio 2019

LEIA MAIS
Global JR - Negócios Internacionais | ESPM
Entraremos em contato com você.
Global JR - Negócios Internacionais | ESPM
Agende uma reunião gratuita conosco.